08/09/2011

Amar também é abdicar


A vida põe-me à prova das diferentes formas e feitios. Não sei como as outras pessoas interpretam os acontecimentos da vida, mas eu sinto que esta é uma aprendizagem constante, um desafio...
Todos sabem a minha adoração por animais e o que sofro por não puder fazer mais.
Conheço pessoas que fazem coisas tão espectaculares que acho sempre pouco o que eu faço.
Não resistindo ao olhar da Pilar, cadela que se encontrava no Cantinho dos Animais de Beja  resolvi ir buscá-la e tentar adaptá-la aos gatos.

Foto da Pilar a solicitar ajuda
Abdiquei da semana de férias no Algarve e lá solicitei a vinda da Jasmim (sim quando olhei para ela vi Jasmim). Um ser tão frágil e com um olhar carregado de tristeza. Ao contrário do que estava à espera foi impecável com os gatos.
Estava assustada e por isso dava pouca confiança. Fazia-lhe festas os seus olhos fechavam-se. Uma ternura. Sozinha fazia tantos disparates.. mas nunca me zanguei com ela, sabia que era passageiro e reflexo do seu passado. Tinha tanto medo do quintal que o destruiu... Só na sala se acalmava.
Continuava triste e eu sentia que ela não estava feliz. Ia comigo à esplanada e portava-se lindamente, passeávamos pela rua e ela adorava, ia a casa de amigos e ficava com aquela tristeza... mas sempre bem comportada.
Jasmim em casa
As férias estão a acabar e a minha preocupação era com a Jasmim. Sabia que não a devolveria mas sentia que ela não estava feliz. Pedi tanto a Deus que me ajudasse a fazer o melhor pela Jasmim.
Na 2ª feita telefona-me uma amiga que queria uma cadelinha, pensei na Jasmim. E se ela fosse mais feliz lá? mas será que a estou a abandonar? o que é melhor para ela?
Jasmim na esplanada
Na 3ª feira combinámos encontrar-nos, já tinha decidido que não era capaz de a entregar (ela chegou 6ª feira à noite mas foram dias de intensidade em que ela era o centro das atenções). Disse-lhe que não seria capaz de entregar a cadela. Diz-me ela: anda ver o local onde ela fica e com quem; não custa nada.
Lá fui decidida a pedir desculpa por ter prometido entregar a cadela e agora não ser capaz de o fazer.
Para espanto meu a Jasmim reagiu à sua nova dona como não tinha reagido comigo: cheirou-a e levantou a cabeça.
Naquele momento só conseguia chorar. O que fazer? estaria a ser egoísta entregando a Jasmim? seria egoísta por ficar com ela?
A entrega de jasmim
Acabei por entregá-la por que percebi que ali seria mais feliz. Só pensava que tenho por vezes Amar também é abdicar.
O meu coração continua  apertado e choro ao ver as suas fotos. Confesso que me pesa a consciência porque uma parte de mim sente que a abandonou, mas ao vê-la assim, serena aquieto-me um pouco.
Está feliz a jasmim, os seus olhos já brilham: e isso é o mais importante.
Foi uma desafio e uma aprendizagem...

A jasmim na nova casa...
Sê feliz minha doce jasmim!

25 comentários:

Cristina Torrão disse...

Que história tão bonita, pôs-me a chorar. O que interessa é que a Jasmim seja feliz. Sim, na última foto dá essa impressão.

As razões para tal permanecerão um mistério. Mas amar também é abdicar, esta é mesmo uma linda forma de amor, o amor incondicional, que não pede nada em troca.

Só não percebi uma coisa: tem agora uma nova cadela, a Pilar?

Rafeiro Perfumado disse...

Amar é muitas vezes saber deixar partir quem amamos. Linda história, felizmente com um final condizente.

Há.dias.assim disse...

Olá Cristina,
Pilar era o nome dela no canil.
Foi uma história que me marcará para sempre, tenho a certeza.

Há.dias.assim disse...

Rafeiro,
podes crer. Foi-me difícil mas verdade é que os olhos dela já brilham...
Talvez a vida me tenha achado que nesta história eu era apenas a intermediária.

Pitanga Doce disse...

Bom dia (para ti, já boa tarde). Quando entrei aqui, primeiro fiquei deslumbrada com o teu template. Que coisa mais linda! Depois essa demonstração de amor pela Jasmim e então o tema do filme O Piano, que tanto a trama quanto a melodia fazem chorar uma pedra.
Dá para ver que és uma pessoa extremamente sensível!

Bem vinda à ávore! Gostei de te ver lá.

Malu disse...

Uau! Que história cheia de emoção e carinho...
Sim, também tenho a sensação de impotência, às vezes, e acho que nada faço de útil perto de tanta gente...
Abraços

Cristina Torrão disse...

Olá, regressei com uma ideia. Talvez a Jasmim tenha sentido, na nova dona, algum cheiro que lhe fez lembrar alguém de quem gostou muito e perdeu. Ou o tom de voz parecido, um gesto...

De qualquer maneira, o mais importante é que ela seja feliz :)

papoila disse...

Acho que fizeste o que foi melhor para ela e depois, se bem compreendi, ela foi para a casa de uma pessoa amiga pelo que saberás se ela continua feliz!
Achei-a linda e muito doce....
xx

salvoconduto disse...

Não será por acaso que se diz que ainda há cães com sorte, pena que sejam tão poucos...

Isa GT disse...

Suponho que fizeste o melhor para ela... e isso é o que interessa... se calhar ela não apreciava gatos que são muito territoriais ;)

Bjos

conchita disse...

Fogo, até chorei ao ler o teu post, lindo!!!,também adoro animais principalmente gatos; e se a Jasmin está feliz com a nova dona é o que interessa realmente; existissem mais pessoas como tu e este mundo seria melhor, parabéns!! e um bom fim de semana:)

trepadeira disse...

Abri a caixa de comentários e nem sei o que escrever.Fiquei emocionado.
Já tinha saudades de passar por aqui.

Cordial abraço,
mário

Lilá(s) disse...

Os animais que passam pelas nossas vidas marcam -nos sempre e muito, mas se o coração te disse que a jasmim era mais feliz na casa nova então não te preocupes...o coração não nos engana.
Bjs

Justine disse...

Uma comovente história de amor, com um fim feliz! Eles , os animais, deveriam ter uma "palavra" na decisão da sua vida e nós devíamos ouvi-la sempre. Tu ouviste, a Jasmim escolheu. Muito belo...

Há.dias.assim disse...

Olá Pitanga,
obrigada pelas tuas palavras. Voltarei à Pintangueira...

Há.dias.assim disse...

Malu,
o que importa é que cada um faça o que é possível.
Espero conseguir fazer mais...

Há.dias.assim disse...

Sim Cristina.
talvez a nova dona lhe tivesse lembrado alguém. Via-se que ela era uma cadela que já tinha vivido em casa.

Há.dias.assim disse...

Papoila,
sim. ela está feliz e poderei sempre vê-la.
Entretanto há outras cadelas seniors para adoptar ou para ter como FAT (Família de acolhimento temporário).

Há.dias.assim disse...

é verdade salvoconduto, é verdade. Precisamos todos de fazer mais por eles.

Há.dias.assim disse...

Isa
ela não fazia mal aos gatos, mas agora está muito feliz, e eu também!

Há.dias.assim disse...

Obrigada conchita!

Há.dias.assim disse...

Obrigada Mário.
Seja bem vindo!

Há.dias.assim disse...

lila,
concordo contigo. Os animais marcam-nos sempre!

Há.dias.assim disse...

Obrigada Justine!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como pode pensar que a abandonou se, pelo que se depreende das suas palavras, ela está feliz?
Mas, para ficar sossegada, que tal ir visitá-la de vez em quando?