28/03/2011

Retrato

Fabien Perez
Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida
A minha face?

Cecília Meirelles

4 comentários:

Justine disse...

No espelho do tempo, ou da amargura, ou apenas da vida...
Grande poema!

Lilá(s) disse...

Belissímo poema, onde andas espelho meu?...
Bjs

JPD disse...

Lindo, lindo, lindo.
Escreve-se e escolhe-se muito boa poesia por aqui.
Bjs

Cata- Vento disse...

É assim a vida! Um belo poema de Cecília Meirelles que eu tanto admiro.

Beijinhos

Bem-hajas!