24/05/2010

O ridículo a nú …


imagem daqui

Portugal hipócrita: o país em que mais vale furtar e ser apanhado em vídeo do que ser fotografada a mostrar o pipi numa revista.
A comparação não será a ideal, alguns dirão que é pura demagogia. Mas pelo menos é elucidativa do tratamento algo desfasado que as nossas autoridades dão a dois casos, um mais grave que mete electrónica e outro mais divertido que envolve nudez. Pipi e os gravadores poder-se-ia chamar este filme.
 No mesmo país em que assistimos ao furto de dois gravadores por um deputado da Nação, sem que o acto tenha consequências profissionais para o senhor, vemos uma professora ser suspensa de imediato porque mostrou o pipi e as maminhas na revista Playboy.
O mais grave é que o furto parece ter sido efectuado no interior das instalações da AR e ao que consta a professora não terá realizado a sessão fotográfica na sala de aula ou no recreio com a pequenada toda a bater palmas enquanto jogava à macaca.
O deputado Ricardo diz ter praticado "acção directa" para defender a honra, já a professora Bruna perdeu a honra ao praticar a "acção directa" de despir a roupinha.
Temos por um lado uma professora que não pode continuar a lidar com crianças porque meia Mirandela e alguma malta de Valpaços a viu nua na revista Playboy e por outro um deputado que pode continuar sentado no quentinho da AR depois de todo o país o ter visto "abafar" dois gravadores da revista Sábado. É justo.
Com isto podemos deduzir que para vermos o deputado Ricardo Rodrigues ser suspenso de funções seria provavelmente necessário que este pousasse nu para uma revista feminina ou fizesse um strip-tease durante a comissão de inquérito PT/TVI. A mesma comissão onde vemos o Sr. deputado insistentemente apelar à moral e à legalidade.
Uma coisa é certa, se a "Stôra" Bruna fosse deputada tenho a certeza que não furtaria gravadores ou máquinas fotográficas a jornalistas, até porque provavelmente estaria nua e não teria bolsos para esconder o material. Já o Sr. Deputado, a menos que faça um Lap dance a Mota Amaral não vejo forma de ser admoestado.
Posto isto e fazendo o ponto final de situação:
- Ser professora e cumulativamente mostrar o pipi numa revista: NÃO.
- Ser deputado e furtar gravadores a jornalistas: SIM



Gravador Antigo
imagem daqui

Recebi por e-mail, desconheço o autor...

4 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

É a hipocrisia no seu esplendor. Mas não é exclusivo nosso, lembro-me da censura que canais como a MTV ou VH1 fazem a letras de músicas, colocando efeitos sonoros sobre palavras como "ass" ou "dru dealer", quando logo a seguir exibem programas em que instam os jovens a serem rebeldes e a desafiarem a autoridade. Palhaçada, é o que é...

Rosa dos Ventos disse...

Quando a professora fez as fotos nem sequer dava aulas e que desse...
C´est la vie...en rose! :-))

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Somos um bocadinho idiotas, mas é só um bocadinho...

legivel disse...

deputado gravado:

- Venham comigo! os dois!!

gravadores palmados:

- E para onde nos leva?

deputado gravado:

- Vão visitar o Pipi da Docente.

gravadores palmados:

- Não queremos ir que ainda somos de tenra idade.

deputado gravado:

- É de pequenino que se torce o pepino e começa o ensino.

gravadores palmados:

- Vamos fazer queixa à Visão!

deputado gravado:

- A Visão nunca mais vos põe a vista em cima, eu não me chame Ricardo e não seja mais deputado.

Caia o pano para não mais se levantar! é o encenador quem o diz. Que comédia de país.