14/06/2010

Coisas leves e únicas


http://www.ricci-arte.biz/pt/Iman-Maleki-2.htm
Iman Maleki, 00004422-Z



No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento...

6 comentários:

lis disse...

Detalhes que ficam , lembranças .
O poeta tem razão , isso importa.

Rosa dos Ventos disse...

E a minha irmã a pentear-me...
O que tu me trouxeste à lembrança com este poema de Quintana...

Abraço

MagyMay disse...

Talvez... no fim...

Rafeiro Perfumado disse...

A não ser que seja um furacão, aí voa tudo...

Lilá(s) disse...

Gosto de Mário Quintana, ele tem razão...
Bjs

JPD disse...

Uma delícia!

Bjs