17/10/2010

Filmes que nos marcam: «La Tête en Friche»



«La Tête en Friche»
É o filme da 11ª festa do Cinema francês que mais me marcou. Trata-se de uma comédia do realizador Jean Becker e protagonizada por Gérard Depardieu, sobre a bela amizade entre um quarentão e a velhinha que lhe lia em voz alta, e está agora a ficar invisual."Germain (Gérard Depardieu) já passou há muito dos quarenta anos, leva uma vida pacata entre a caravana onde mora, a namorada e os amigos de café. Mal sabe ler. Mas a sua vida muda quando conhece, no parque onde vai todos os dias, uma velhinha fora do comum que começa a ler-lhe em voz alta. Nasce uma relação especial entre os dois e quando Margueritte (Gisèle Casadesus) perde a vista, Germain vai ter que fazer alguma coisa."
Gerard Depardieu está cada vez mais gordo, muito próximo de Obelix... Tão grande em tamanho como em capacidade para representar. Direi que neste filme está assombroso...
No filme ele faz um homem "simples" mas muito sensível. Senta-se todos os dia no banco do jardim a contar os pombos a quem baptizou com nomes de acordo coma as características que lhe observou.
É num  desses momentos que encontra Margueritta, uma  velhinha que lhe mostra o prazer de ler.
O filme não tem grandes histórias de amores, cenas de sexo, beijos  apaixonados, mulheres sensuais, tiros, roubos, tramas economico-finaceiras. Nada, o filme não tem nada que se compare com um filme americano produzido para o sucesso de bilheteira. Porém, posso dizer-lhes que é um daqueles filmes inesquecível.
Espero que chegue às salas de cinema porque tem muito para ensinar sobre o amor, as relações entre as pessoas, o respeito pelos mais velhos…
Deveria ser um filme que todos os pais viriam com os seus filhos para depois os educarem para o respeito pelos idosos e a descoberta do que têm para nos dar.
Numa altura em que a violência sobre os idosos aumenta a sociedade continua indiferente a este facto e à realidade incontornável: no futuro, seremos todos velhos.
Não sei qual a tradução que darão ao título do filme, mas se virem um cartaz com uma velhinha de 96 anos e o imensurável Gérard Depardieu, não percam a oportunidade. Acreditem, pode despertar o melhor que há em nós…

16 comentários:

Justine disse...

O que contas dá-me uma vontade imensa de ver o filme. Só o Depardieu merece sempre uma ida ao cinema...
Obrigada pela chamada de atenção:))

papoila disse...

Que pena não pude ir ver!
Mas, estive ontem lá e vi outra comédia, muito alegre e leve diverti-me como é uma ante-estreia se gostam do humor francês não percam:
"o amor a dois é melhor".
xx

Ps: filme sem efeitos especiais, sem loucuras, apenas um filme que dispõem bem.

Rafeiro Perfumado disse...

Felizmente não é o orçamento que determina a beleza do filme, já vi super-produções que nem para assoar o nariz serviam enquanto outros "baratuxos" mas com uma forte mensagem conseguiram comover-me. Beijocas!

Lilá(s) disse...

Gosto das tuas sugestões.
Boa semana
Bjs

uminuto disse...

ão vi o filme, mas fiquei com uma enorme vontade de o fazer, depois da stua spalavras
beijo e boa semana

uminuto disse...

não vi o filme, mas ifquei com imensa vontade de o fazer, depois de ler as tuas palavras
beijo e boa semana

Rosa dos Ventos disse...

Queria ver se apanhava algum em Coimbra já que falhei Lisboa...

Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Estou completamente desfazado dos filmes que andam por aí, estou a adaptar-me lentamente ao regresso, mas a sua descrição despertou-me a vontade de ver o filme. Devagarinho, hei-de pôr-me em dia com a realidade.

Ana Paula Sena disse...

Tenho pena de não o ter visto, Há dias... Tem todo o ar de ser realmente um filme adorável!

Vou ficar atenta, para ver se não me escapa.

Beijinhos para ti :)

Há.dias.assim disse...

Justine,
Espero que venha a entrar nos circuitos comerciais. tenho a certeza que irás gostar.

Há.dias.assim disse...

Rafeiro,
completamente de acordo. E este é um desses exemplos.

Há.dias.assim disse...

obrigada Lila.

Há.dias.assim disse...

um minuto
Espero que veja e gostes.

Há.dias.assim disse...

Roa dos ventos,
não percas.

Há.dias.assim disse...

Carlos,
bom regresso!

Há.dias.assim disse...

Olá Ana Paula,
quem sabe se não entra nos circuitos comerciais...
Bjocas