09/10/2010

A responsabilidade...


responsabilidade : s. f. Obrigação de responder pelas acções! próprias, pelas dos outros ou pelas coisas confiadas.

Fui educada para ser responsável. Desde muito nova, por motivos diversos, o peso da responsabilidade foi colocado sobre os meu ombros. Talvez porque  a minha avó me obrigou a beber a responsabilidade no biberão, juntamente com outros tantos conceitos, não consigo aceitar que determinadas pessoas, mais grave porque são adultas, não consigam demonstrar responsabilidade.

Vem toda esta conversa a propósito de um episódio que tive que vivenciar na 5ª feira.
Estamos a organizar uma exposição e a dinamizar actividades diversas como palestras, workshops, etc. principalmente para alunos do 1º ao 3º ciclo. Os professores inscrevem os seus alunos no dia em que as actividades agendadas vão de acordo ao nível de ensino que leccionam. Posteriormente é-lhe enviado o conteúdo da exposição para que trabalhem a informação com os alunos de acordo com a disciplina que leccionam.
A visita à exposição é composta por uma palestra proferida por um investigador, um espaço vídeo sobre a temática do ambiente e  a exposição que está dividida em duas partes: Biodiversidade e a Terra.
Já passaram por lá muitos alunos e professores de diferentes escolas, mas como o grupo de 5ª feira à tarde é que não.
As professoras chegaram com os seus alunos mas ficaram a conversar, os alunos corriam e saltavam por onde queriam, as professoras continuavam impávidas e serenas. Incrédula lá meti ordem na sala, convencida que as professoras se tinham envergonhado e fariam o mínimo dos mínimos que era olhar pelos alunos.
Não, não foi isso que aconteceu. As senhoras que recebem ordenado de professoras foram para o café e quase 50 alunos ficaram por ali. Não ligaram à exposição, iam estragando o plasma, a maquete e tudo o que viam pela frente. Aligeiro a cena para não me tornar mais chata.
mas pergunto: serão isto professoras? Claro que foram apenas 4 professoras e que não pode ser generalizado. porém, é gentinha como esta que deixa mal vista uma classe. Se fosse como em Espanha, fazia-se uma queixa à direcção da escola e as mesmas seriam despedidas. Em Portugal, continuam a receber o ordenado, quiçá têm a avaliação máxima e são as primeiras a ofender a ministra. 
Aqui fico solidária com a anterior ministra, tentou, tentou mas não conseguiu afastar os incompetentes do ensino.
Para finalizar quero realçar que o grupo anterior era da mesma escola, mais alunos e um grupo de professores espectacular. Há diferenças! e na avaliação?

7 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Percebes agora porque é que há pessoas que se insurgem contra a avaliação, seja ela qual for?

Beijoca e sê paciente! Pensando bem, porrada nelas, qual paciência!

Kássia Kiss disse...

Sim, não pode ser generalizado. Mas não penso que problemas destes se resolvam com avaliação. Como em todas as profissões, há gente irresponsável, sem princípios (que nos são ensinados desde o berço). Essas senhoras, pelos vistos, acharam que a visita à exposição era uma boa oportunidade para tirarem um "dia livre", deixando os seus alunos a cargo de outros.

papoila disse...

Eu teria ficado a "ferver" cheia de vontade de ir falar com as professoras!
Isto não vai lá com paciência ...:), temos mesmo que chamar a atenção a quem não respeita os outros!
XX

Justine disse...

Há gente que não é bem gente, é um arremedo!
Mas como tu própria dizes, não se pode generalizar e creio - tenho esperança - que essas estejam em minoria..
Força e bom trabalho:))

zeparafuso disse...

Nada tenho a ver com o ensino! Se calhar por já por cá andar há muitos anos tornei-me retrógrado, digo isto, porque acho que educação é uma coisa do passado. Cada vez que avançamos no tempo, cada vez que julgamos que avançamos no ensino, temos situações destas, situações que os responsáveis deveriam ser punidos, despedidos, até como tu dizes, porque não merecem nem têm motivo nenhum para estarem no lugar que ocupam. Crê-se que professor, forma aluno, ou deveria ser assim, para estes, não devia haver avaliação mas sim suspensão.

Lilá(s) disse...

Gostei do teu post e entendo-o perfeitamente...a sorte é que em cada escola existe apenas uma meia duzia de professores desse género mas a avaliação não contempla cenas como essas, aí é que dói...
Na minha escola somos 90 prof. como já disse meia duzia não deviam estar no ensino mas ao serem avaliados têm nota igual aos que levam a carreira a sério,tristezas...
Beijos

Giardia disse...

Lindas borboletas a voar no seu jardim!


Transferência de responsabilidade! E incoerência absoluta.

Não é um problema apenas de seu país. É generalizado.

Há pais esperam da escola a intenção da educação aos filhos. Há professores que esperam do pais alunos bem comportados e educados. E ninguém se entende.


Bom domingo.